dezembro 6th, 2017 at 9:52 by admin

“Jesus ia passando por todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas, pregando as boas novas do Reino e curando todas as enfermidades e doenças.
Ao ver as multidões, teve compaixão delas, porque estavam aflitas e desamparadas, como ovelhas sem pastor. Então disse aos seus discípulos: ’A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Peçam, pois, ao Senhor da seara que envie trabalhadores para a sua seara’”
Mt 9:35-38.

Vivemos em cidades cada vez maiores. A urbanização acelerada traz muitos problemas sociais e necessidades particulares. Esse cenário complexo e desafiador pode nos confundir como Igreja e como crentes, nos desviar da missão divina para nós. Quando olhamos para as pessoas, quais de tantas necessidades deve chamar nossa atenção? Que problemas devemos tentar resolver? Onde investir nossa criatividade e esforço ministerial? Esse texto vai nos ajudar a entender isso é orientar nosso esforço ministerial.

[V] Veja o que o texto diz
Mateus descreve esse evento e ensino de Jesus em seu próprio contexto. Que “Jesus ia passando por todas as cidades e povoados” inicia um assunto completamente novo. Mesmo assim, o evangelista associa a passagem ao envio dos doze, dando um sentido mais amplo ao que significa pedir ao Senhor que “envie trabalhadores”. Lucas coloca essa instrução de oração no contexto do envio de setenta e dois discípulos, como uma frase dita a eles. Entendemos não ser impossível que Jesus tenha dado a mesma instrução mais de uma vez, em diferentes situações e contextos. Finalmente, é importante que seara é a o gr. Therismos, explicitamente ‘colheita’ e não outra fase da plantação, e trabalhadores é o gr. ergates, um trabalhador rural assalariado, portanto inteiramente conhecedor da colheita e dedicado a ela.

  • Onde Jesus estava e o que fazia? ”Jesus ia passando por todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas, pregando as boas novas do Reino e curando todas as enfermidades e doenças” -
  • O que despertou a compaixão de Jesus pelas multidões e qual a razão disso? “Ao ver as multidões, teve compaixão delas, porque estavam aflitas e desamparadas, como ovelhas sem pastor” -
  • A que Jesus comparou o trabalho que devia ser feito é que desafio identificou? “Então disse aos seus discípulos: ‘A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos’” -
  • Como Jesus propôs enfrentar o desafio é solucionar o problema? “Peçam, pois, ao Senhor da seara que envie trabalhadores para a sua seara” -


[O] Ouça o que o texto quer
O ministério de Jesus é apresentado nessa passagem com sendo de instrução nas sinagogas, pregação (nas ruas e casas) e cura de todo o tipo de enfermidades e doenças. Sabemos que as curas tiveram uma função de autenticação do ministério de Jesus, e o fato de que sua missão era o ensino e a pregação da Palavra de Deus fica novamente evidente no fato de que Jesus via as pessoas como ovelhas sem pastor, ou seja, sua necessidade premente não era a cura mas a instrução e a orientação. Essa ênfase ministerial configura o Reino de Deus, o governo do Sumo Pastor. Por isso também Jesus viu as pessoas como uma colheita, como frutos que deviam ser colhidos para o Pai. A instrução e pregação para submeter pessoas ao pastoreio de Cristo, ao Reino de Deus, essa é a missão da Igreja. Para isso devemos pedir obreiros dedicados a colher pessoas perdidas e desorientadas para o Reino de Deus em Cristo. Se Jesus, cheio de compaixão, nos mandou pedir por isso, é certo que seremos atendidos. Contudo, aprendemos também que esse ‘pedir’ inclui um consequente discipulado e envio de obreiros ensinadores e pregadores para a ceifa. Quanto aos sinais, não há com que se preocupar, certamente seguirão os que crerem enquanto o Senhor cooperar com eles.

[S] Sinta o que o texto manda
Quando lideramos qualquer projeto, nossas preocupações estão em captar os diversos recursos necessários: humanos, materiais, logísticos e estratégicos. Contudo Jesus nos chama a deixarmos tais preocupações de lado para nos concentrarmos somente nos trabalhadores. Certamente, tudo o mais virá com eles. Ore para ficar livre de outras preocupações.

Jesus nos mandou orar por trabalhadores, por isso precisamos orar mais. Façamos da súplica por mais ensinadores e pregadores do Evangelho o nosso clamor contínuo. Ao mesmo tempo, devemos nos propor a discipular e enviar aqueles a quem o Senhor nos der como resposta ao nosso clamor. Ore por mais ensinadores e pregadores para sua igreja e para outras igrejas e agências missionárias.

As pessoas que ouviram a instrução de Jesus para orar por mais trabalhadores para a colheita de pessoas para o Reino, fossem os doze de Mateus ou os setenta e dois de Lucas, foram todos resposta da oração de Jesus! Eles foram trabalhadores que Jesus discipulou e enviou. Enquanto oramos por ensinadores e pregadores estejamos nós também dispostos a ser a resposta dessa oração. Ore apresentando sua vida para que Deus use você no ensino e pregação do Reino de Deus.

Jesus olhava as cidades e povoados e via multidões de pessoas, olhava tantas pessoas e as via como um rebanho de perdidos, como uma colheita à espera de ceifeiros. Você vê as pessoas como Jesus as via? Para estabelecermos o Reino de Deus devemos manter uma visão correta das pessoas, de sua situação e de nossa missão divina para elas como ensinadores e como pregadores do governo real de Deus em Cristo. Ore por essa visão correta da necessidade da liderança real de Cristo, para você é para a Igreja em geral.

Este estudo bíblico é parte integrante da série de trinta devocionais preparados para a Escola de Liderança da AMME para Adolescentes e Jovens – Pacificadores, na edição #PACI18, de 7 a 21 de janeiro de 2018 em Ibiúna – SP. Veja a lista de textos em pacificadores.org/web/2017/12/04/melhora/

Leave a Reply