dezembro 23rd, 2017 at 13:29 by admin

“Assim, há muitos membros, mas um só corpo.
O olho não pode dizer à mão: ‘Não preciso de você!’, nem a cabeça pode dizer aos pés: ‘Não preciso de vocês!’. Pelo contrário, os membros do corpo que parecem mais fracos são indispensáveis, e os membros que pensamos serem menos honrosos, tratamos com especial honra. E os membros que em nós são indecorosos são tratados com decoro especial, enquanto os que em nós são decorosos não precisam ser tratados de maneira especial. Mas Deus estruturou o corpo dando maior honra aos membros que dela tinham falta, a fim de que não haja divisão no corpo, mas, sim, que todos os membros tenham igual cuidado uns pelos outros. Quando um membro sofre, todos os outros sofrem com ele; quando um membro é honrado, todos os outros se alegram com ele.
Ora, vocês são o corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo”
. 1 Coríntios 12:20-27.

A psicologia enfatizou, em nossos dias, a ilusão de que as pessoas são indivíduos. Paulo insiste em suas cartas que o indivíduo é social, a família ou a igreja, e que cada pessoa é um membro funcional dessa unidade e que, somente assim, a igreja pode cumprir a missão de Deus. Esse é um texto decisivo para entendermos a nós mesmos e a igreja.

[V] Veja o que o texto ensina
O apóstolo Paulo enfrentava a situação em que a espiritualidade entre os coríntios era por manifestações espirituais extraordinárias e não pela transformação do caráter. Ele recorre então, novamente, à ideia do corpo para combater o individualismo e se alonga ao explorar vários aspectos dessa ideia, indo desde o verso 12 e até o 31.

Depois da pergunta retórica no verso19, evidenciando a impossibilidade de um corpo ter todos os membros iguais, Paulo afirma que os membros são diversos e formam um só corpo. Nenhum membro pode desprezar um outro. Ao falar dos membros que poderiam ser, de algum modo, desprezados, Paulo diz: “os membros do corpo que parecem mais fracos são indispensáveis”. O termo traduzido como fracos é o Gr. asthenés, que significa ‘sem vigor’, o que descreve como se sentiam alguns crentes naquela igreja. No corpo não dispensamos nenhum desses membros e, ao nos vestirmos, nos concentramos em cobrir e adornar essas partes do corpo. Aqui Paulo usou termos que significam ‘não apresentáveis’ ou ‘bem apresentáveis’, referindo-se claramente à aparência, para negar sua importância quando considerada a função de cada membro.

O apóstolo afirma que nossa atitude responde à intenção de Deus na criação e deixa implícito que isso se aplica ao corpo místico que é a igreja local. A intenção de Deus é que não haja divisão, Gr. schisma, uma separação impensável entre os membros, mas bastante óbvia na igreja. Ao invés disso os membros devem estar ‘ansiosos’, Gr. merimnaó, curiosamente outra palavra para ‘divisão’, mas agora significando que, por causa de outro membro, cada um deixaria de lado todos os seus interesses pessoais. A unidade se explica em que o sofrimento ou a glorificação é recebida por um membro e é percebida por todo o corpo. Antes de seguir exemplificando as diferentes funções dos membros do corpo de Cristo Paulo afirma que os crentes formam uma unidade de partes funcionais.

  • Qual a razão de um membro não poder desprezar um outro? “Assim, há muitos membros, mas um só corpo. O olho não pode dizer à mão: ‘Não preciso de você!’, nem a cabeça pode dizer aos pés: ‘Não preciso de vocês!’”.
  • Como tratamos os membros que parecem fracos ou menos apresentáveis em nosso corpo? “Pelo contrário, os membros do corpo que parecem mais fracos são indispensáveis, e os membros que pensamos serem menos honrosos, tratamos com especial honra. E os membros que em nós são indecorosos são tratados com decoro especial, enquanto os que em nós são decorosos não precisam ser tratados de maneira especial”.
  • Qual foi a intenção de Deus ao criar o corpo físico ao qual se compara o corpo místico de Cristo, a igreja local? “Mas Deus estruturou o corpo dando maior honra aos membros que dela tinham falta, a fim de que não haja divisão no corpo, mas, sim, que todos os membros tenham igual cuidado uns pelos outros”.
  • Como a intenção de unidade se verifica entre os membros do corpo físico e deve se ver também na igreja? “Quando um membro sofre, todos os outros sofrem com ele; quando um membro é honrado, todos os outros se alegram com ele”.
  • Se a integridade das pessoas está na coletividade, qual é a natureza de sua particularidade? “Ora, vocês são o corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo”.

[O] Ouça o que o texto promete
Paulo combate o individualismo na igreja trazendo uma concepção social da integridade humana. O indivíduo é social e as pessoas são partes funcionais dele. Isso não é mera figura de linguagem. O individualismo, a ideia de que cada pessoa é completa em si mesma e autossuficiente, é uma ilusão destrutiva. O apóstolo faz isso no contexto da discussão sobre os dons e ministérios que devem ser exercidos para a manifestação da Palavra de Deus: “Mas se entrar algum descrente ou não instruído quando todos estiverem profetizando, ele por todos será convencido de que é pecador…” 1Co 14:24.

Portanto, o caminho que Paulo aponta é um em que nenhum crente será desprezado na igreja, mas todos terão igual cuidado uns dos outros. Não haverá divisão, mas um se preocupará intensamente com o outro. Todos sofrerão quando um for atribulado, e todos se alegrarão quando outro for abençoado. Nessa unidade, a igreja cumprirá a missão que recebeu de Deus, de manifestar o Evangelho.

[S] Sinta o que o texto ordena
Esse texto urge aos leitores abandonarem a ilusão do individualismo. Ore para que você e os irmãos em sua igreja rejeitem a ideia de que são indivíduos e de que podem cumprir uma missão de vida separados uns dos outros.

A missão de cada crente é a missão da igreja. Para cumpri-la, devemos valorizar o dom ou o ministério de cada membro. Ore pela plena valorização do ministério de cada pessoa em sua igreja.

Entre os dons que precisam ser valorizados estão os nossos. Além de considerar os outros importantes para nós mesmos, devemos aceitar que somos necessários para eles. Ore por si, para que você entenda como é importante para os outros e tenha disposição para servir.

Toda a longa discussão que Paulo faz, cobrindo os capítulos 12 a 14, se refere à atividade ministerial dos crentes que deve ser exercida na comunicação da Palavra de Deus para transformação de vidas, a evangelização dos próprios crentes e dos não crentes. Essa é a missão da Igreja e de cada crente. Ore para que tudo o que sua igreja como corpo, e cada crente como membro faz seja comunicar o Evangelho para transformação de vidas.

…………
Este estudo bíblico é parte integrante da série de trinta devocionais preparados para a Escola de Liderança da AMME para Adolescentes e Jovens – Pacificadores, na edição #PACI18, de 7 a 21 de janeiro de 2018 em Ibiúna – SP. Veja a lista de textos em

Leave a Reply