dezembro 24th, 2017 at 18:39 by admin

“Na presença de Deus e de Cristo Jesus, que há de julgar os vivos e os mortos por sua manifestação e por seu Reino, eu o exorto solenemente: Pregue a palavra, esteja preparado a tempo e fora de tempo, repreenda, corrija, exorte com toda a paciência e doutrina. Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, sentindo coceira nos ouvidos, segundo os seus próprios desejos juntarão mestres para si mesmos. Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos. Você, porém, seja sóbrio em tudo, suporte os sofrimentos, faça a obra de um evangelista, cumpra plenamente o seu ministério” 2 Timóteo 4:1-5.

Vivemos um tempo difícil para a evangelização, e muitos crentes, muitas igrejas, preferem simplesmente abandonar a pregação do Evangelho e substituí-la por algo mais aceitável para as pessoas. Essa é a pós-modernidade. Cada um tem sua própria verdade, cada um segue seus próprios desejos e intenções. É mais fácil para a Igreja deixar o contraditório do Evangelho e se dedicar às obras sociais. Mas Deus, em Cristo, o que pensa disso?

[V] Veja o que o texto ensina
Paulo estava próximo de sua morte. Ele sabia que em breve seria assassinado pelo Império Romano, provavelmente por causa da acusação de ser um dos responsáveis pelo incêndio de Roma. De fato, é disso que ele falou nos versos seguintes a essa passagem. Então, a segunda carta que escreveu a Timóteo é uma espécie de testamento apostólico. Ele estava transferindo suas responsabilidades ministeriais ao discípulo e animando-o a assumi-las.

Nesse último capítulo, o Apóstolo aos Gentios sumarizou o tema que tratou nos capítulos anteriores e foi ainda mais intenso e dramático. Ele começou dando o que chamou de ‘claro testemunho’, Gr. diamarturomai. Portanto não foi um pedido ou um mandado, mas uma descrição do que ele via em Deus e em Cristo Jesus. Nisso, ele descreveu o Senhor como quem julgará as obras de todos, inclusive de Timóteo, que se manifestará pessoalmente e que desde já é Senhor de tudo e de todos.

Essa obra que Paulo sabia que Timóteo devia realizar é a pregação da Palavra de Deus, coisa que ele precisava estar pronto para fazer quando o tempo fosse bom, Gr. eukairós, o ainda quando não houvesse tempo, Gr. akairós. Essa pregação seria apologética, consistindo em: convencer do erro (Gr. elegchó); apresentar o que é certo (Gr. epitimaó); aconselhar (Gr. parakaleó). Esse falar de perto seria motivar a deixar o erro a adotar o que é certo. Em tudo isso, Timóteo deveria agir com total constância emocional e todos os recursos didáticos.

Paulo apontou para um público que, desde então e dali por diante, não toleraria o ensino higiênico, saudável, preferindo mitos agradáveis. Nesse cenário, Timóteo deveria ‘carregar todo o seu serviço’, Gr. plérophoreó, nada deixando de lado. Três coisas caracterizariam o serviço completo: a) manter a lucidez, sem se deixar iludir; b) sentir as dores da maldade, sofrer por causa do mal; c) fazer o trabalho de um evangelista, isto é, proclamar a boa notícia do Governo de Deus em Cristo.

  • Como Paulo enfatiza a importância do que está para dizer a Timóteo? “Na presença de Deus e de Cristo Jesus, que há de julgar os vivos e os mortos por sua manifestação e por seu Reino, eu o exorto solenemente”.
  • Qual a metodologia de pregação apologética que Paulo sugere para os novos tempos que Timóteo enfrentará? “Pregue a palavra, esteja preparado a tempo e fora de tempo, repreenda, corrija, exorte com toda a paciência e doutrina”.
  • Como Paulo descreve o público para o qual Timóteo pregará a partir de então? “Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, sentindo coceira nos ouvidos, segundo os seus próprios desejos juntarão mestres para si mesmos. Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos”.
  • Quais são as três coisas que caracterizariam um ministério completo para Timóteo? “Você, porém, seja sóbrio em tudo, suporte os sofrimentos, faça a obra de um evangelista, cumpra plenamente o seu ministério”.

[O] Ouça o que o texto promete
Paulo estava preparando a continuidade de seu ministério. Esse cuidado com sua sucessão se iniciara havia mais de dez anos, quando ele convidou Timóteo ainda adolescente para acompanha-lo em seu ministério. Agora que ele transferia definitivamente a responsabilidade para seu filho na fé, notava também que as pessoas estariam cada vez menos dispostas a ouvir a verdade.

Paulo e Timóteo viviam em uma pós-modernidade provocada pela política conciliadora do multiculturalismo no Império Romano. Essa era uma situação bem parecida com a nossa, nos grandes centros urbanos do século XXI. Mas não vemos o apóstolo desanimado com a apostasia, falta de caráter e má vontade para com a verdade. Ele está certo de que Timóteo pode carregar adiante todo o seu serviço para Deus, sem deixar nada para trás.

Para cumprir plenamente seu ministério naquela pós-modernidade, Timóteo deveria: ser sóbrio, isto é, não se iludir com os mitos de seu tempo, manter uma cosmovisão sadia, lúcida; sofrer por causa do mal, não se acostumar a ele, nunca aceitá-lo. Fazer o trabalho de um evangelista, não aquilo que as pessoas desejassem ou preferissem, mas a proclamação da boa notícia de que, em Cristo, Deus aceita governar a vida das pessoas.

Carregar todo o ministério, nada deixar para trás, nada por de lado, esse é um desafio grandioso para qualquer cristão que vive em um tempo de tantas pressões políticas para a conformidade ao pensamento do mundo e desejos carnais. Contudo, Paulo, inspirado pelo Espírito Santo, testemunhando diante de Deus e de Jesus, sob a eminência do juízo das obras, entende e insiste que a pregação da Palavra, condenando o erro, apontando o certo e motivando as pessoas a se arrependerem, vai funcionar perfeitamente.

[S] Sinta o que o texto ordena
Paulo chamou Timóteo a ser sóbrio. Esse verbo é usado seis vezes no Novo Testamento, sempre no contexto de um mundo cujo pensamento mundano intoxica os crentes. Ore por uma cosmovisão genuinamente cristã para você e para sua igreja.

Enquanto muitos diminuiriam a pregação a um mundo que não a tolera mais, Paulo disse a Timóteo para pregar na hora certa e também quando não fosse hora. Clame por si mesmo e pelos seus irmãos para que preguem mais a Palavra de Deus.

O verbo Gr. kakopatheó significa sentir a dor da maldade, não ser indiferente, não se conformar com o que é errado, mas pregar contra isso. Ore por um coração sensível, que não se conforma com o mal, para você e para os irmãos em sua igreja.

O reino de Deus pode crescer mesmo no meio de uma geração ímpia, que segue somente os desejos de sua carne. Para isso, é necessário que cada crente proclame a boa notícia do Governo de Deus. Ore para que essa seja a pregação contínua em sua igreja e a sua também.

…………
Este estudo bíblico é parte integrante da série de trinta devocionais preparados para a Escola de Liderança da AMME para Adolescentes e Jovens – Pacificadores, na edição #PACI18, de 7 a 21 de janeiro de 2018 em Ibiúna – SP. Veja a lista de textos em

Leave a Reply