dezembro 30th, 2017 at 12:34 by admin

“Então Jesus começou a lhes falar por parábolas: ‘Certo homem plantou uma vinha, colocou uma cerca ao redor dela, cavou um tanque para prensar as uvas e construiu uma torre. Depois arrendou a vinha a alguns lavradores e foi fazer uma viagem. Na época da colheita, enviou um servo aos lavradores, para receber deles parte do fruto da vinha. Mas eles o agarraram e espancaram, e o mandaram embora de mãos vazias. Então enviou-lhes outro servo; e lhe bateram na cabeça e o humilharam. E enviou ainda outro, o qual mataram. Enviou muitos outros; em alguns bateram, a outros mataram.
Faltava-lhe ainda um para enviar: seu filho amado. Por fim o enviou, dizendo: ‘A meu filho respeitarão’.
Mas os lavradores disseram uns aos outros: ‘Este é o herdeiro. Venham, vamos matá-lo, e a herança será nossa’. Assim eles o agarraram, e o mataram, e o lançaram para fora da vinha.
O que fará então o dono da vinha? Virá e matará aqueles lavradores e dará a vinha a outros. Vocês nunca leram esta passagem das Escrituras? ‘A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular; isso vem do Senhor, e é algo maravilhoso para nós’’.
Então começaram a procurar um meio de prendê-lo, pois perceberam que era contra eles que ele havia contado aquela parábola. Mas tinham medo da multidão; por isso o deixaram e foram embora”.

Marcos 12:1-12.

Ao longo da história, várias elites religiosas foram substituídas por outras. Os israelitas que saíram do Egito foram substituídos por uma nova geração no deserto. Depois, Israel desapareceu e Judá ficou em seu lugar. Os Judeus foram substituídos pelos cristãos primitivos e, desde então, vários movimentos do cristianismo desapareceram dando lugar a outros, inclusive na Reforma. Porque Deus fez estas substituições? É sábia a arrogância de pensar que não seremos substituídos? O que deveríamos fazer para continuarmos?

[V] Veja o que o texto ensina
No texto anterior, conforme o relato de Marcos, Jesus se recusa a responder diretamente sobre sua autoridade para purificar o Templo, mas logo conta essa parábola que explica sua autoridade e prediz tudo o que acontecerá.

Jesus começa do mesmo modo como a parábola de Isaías 5:1-7, e isso evoca o próprio Deus como proprietário e Israel como a vinha. Contudo, logo inclui uns inquilinos que os líderes religiosos percebem se referir a eles mesmos. Esses inquilinos maltratam e até matam servos enviados a recolherem a parte do fruto que cabia ao dono, portanto os profetas. Finalmente aparece o filho, e desse modo Jesus se situa na história.

Ele retrata sua condição especial como filho, prediz sua morte, a rejeição dos líderes e do sistema religioso que controlavam e uma nova construção espiritual com outros líderes sobre a mesma vinha. Para isso Jesus cita um texto lido naquela celebração, o Salmo 118:22,23, reconhecidamente um texto messiânico. A ganância pelos frutos da vinha fazia com que aqueles líderes desejassem prender Jesus, mas seu medo de perder o controle sobre o povo que exploravam os impedia.

  • A que texto do Antigo Testamento se compara o início dessa parábola e porquê? “Então Jesus começou a lhes falar por parábolas: ‘Certo homem plantou uma vinha, colocou uma cerca ao redor dela, cavou um tanque para prensar as uvas e construiu uma torre’”.
  • Se a vinha representa Israel (Is 5:7), o que significa que Jesus tenha se afastado daquela comparação para falar dos inquilinos e quem seriam os servos? “’Depois arrendou a vinha a alguns lavradores e foi fazer uma viagem’. Na época da colheita, enviou um servo aos lavradores, para receber deles parte do fruto da vinha. Mas eles o agarraram e espancaram, e o mandaram embora de mãos vazias. Então enviou-lhes outro servo; e lhe bateram na cabeça e o humilharam. E enviou ainda outro, o qual mataram. Enviou muitos outros; em alguns bateram, a outros mataram”.
  • Se os inquilinos são os líderes religiosos e os servos são os profetas do Antigo Testamento, quem é o filho e o que Jesus disse que fizeram a ele? “Faltava-lhe ainda um para enviar: seu filho amado. Por fim o enviou, dizendo: ‘A meu filho respeitarão’. Mas os lavradores disseram uns aos outros: ‘Este é o herdeiro. Venham, vamos matá-lo, e a herança será nossa’. Assim eles o agarraram, e o mataram, e o lançaram para fora da vinha”.
  • Quais Jesus diz que seriam as consequências dos atos daqueles líderes religiosos, quem seriam os ‘outros’ e em que passagem bíblica Jesus se baseia? “O que fará então o dono da vinha? Virá e matará aqueles lavradores e dará a vinha a outros. Vocês nunca leram esta passagem das Escrituras? ‘A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular; isso vem do Senhor, e é algo maravilhoso para nós’”.
  • Porque os líderes religiosos tentaram prender Jesus e o que os impediu de fazê-lo? “Então começaram a procurar um meio de prendê-lo, pois perceberam que era contra eles que ele havia contado aquela parábola. Mas tinham medo da multidão; por isso o deixaram e foram embora”.

[O] Ouça o que o texto promete
Esse texto promete uma nova construção espiritual baseada na pedra que os construtores rejeitaram, aquela que acharam que não serviria para a construção. A nova construção existe para que Deus receba os frutos que ele quer. Portanto, a segurança que temos de não sermos rejeitados está em apresentar a Deus os resultados espirituais em que ele investiu para obter: os frutos da santificação e os frutos da evangelização. Deve ser evitada a todo custo a arrogância dos líderes religiosos que tentaram se apossar da vinha e reter para si o seu fruto. Precisamos manter em mente que a construção espiritual que se apoia em Jesus pertence a Deus e deve entregar os resultados que ele quer.

[S] Sinta o que o texto ordena
Esse texto destaca a arrogância dos inquilinos que começaram a se achar donos da vinha e retiveram para si o seu fruto. Ore para que você e seus irmãos nunca olhem para a Igreja como algo que deve beneficiar a vocês mesmos de qualquer modo.

Jesus destaca a sua posição como o filho do dono da vinha e como a pedra angular da nova construção de Deus. Isso fala de uma fé cristocêntrica, inteiramente dependente do que Jesus fez e ensinou. Ore para que sua fé seja assim, baseada em um verdadeiro e pleno conhecimento de Cristo.

Deus daria a vinha a outros. Isso nos lembra o dia anterior, Jesus falando no Pátio dos Gentios sobre a ‘Casa de Oração para todos os povos’. Os líderes judeus exclusivistas deviam aprender que o conhecimento de Deus devia ser compartilhado com gentes de todas as nações. Ore por você e por sua igreja para que tenham esse coração missionário.

O Reino de Deus, a vinha espiritual, cresce com uma liderança que entrega a Deus o que ele quer. Ore por seus líderes e por si mesmo, para liderarem a Igreja conforme a vontade de Deus.

…………
Este estudo bíblico é parte integrante da série de trinta devocionais preparados para a Escola de Liderança da AMME para Adolescentes e Jovens – Pacificadores, na edição #PACI18, de 7 a 21 de janeiro de 2018 em Ibiúna – SP. Veja a lista de textos em

Leave a Reply