janeiro 2nd, 2018 at 11:24 by admin

“Enquanto isso, os discípulos insistiam com ele: ‘Mestre, come alguma coisa’.
Mas ele lhes disse: ‘Tenho algo para comer que vocês não conhecem’.
Então os seus discípulos disseram uns aos outros: ‘Será que alguém lhe trouxe comida?’
Disse Jesus: ‘A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e concluir a sua obra. Vocês não dizem: ‘Daqui a quatro meses haverá a colheita’? Eu lhes digo: Abram os olhos e vejam os campos! Eles estão maduros para a colheita’”.

João 4:31-35

Quão difícil pode ser fazermos a vontade de Deus? Quanto planejamento e esforço deve ser necessário para nos dedicarmos ao trabalho missionário, para realizarmos a obra da evangelização, para obtermos os frutos que glorificam a Deus? Enquanto algumas pessoas sonham com a obra missionária e imaginam sua realização com muito romantismo, outros se lançam a ela e a realizam com grande entusiasmo e muitos resultados. Esse texto revela a diferença entre elas.

[V] Veja o que o texto ensina
Jesus iniciara seu ministério e o treinamento de seus discípulos na Judéia havia algumas semanas. Era bem recente, mas eles já haviam passado muitas horas, muitos dias, ouvindo Jesus. Agora, enquanto viajavam de volta para a Galileia, pararam próximo a um poço, ao que parece, entre campos de trigo. Enquanto Jesus permaneceu ali, os discípulos foram comprar comida na cidade próxima.

Uma mulher veio buscar água, apesar de ser a hora do almoço. Ela era samaritana e partilhava das crenças de seu povo. Vivia com um homem que não era seu marido. Jesus se revelou como o Messias a essa mulher, e causou tal impacto em sua vida que ela foi testemunhar na cidade sobre Jesus: “Venham ver um homem que me disse tudo o que tenho feito. Será que ele não é o Cristo?” Jo 4:29.

Os discípulos voltaram com a comida e se puseram a comer. Seus sentidos estavam todos voltados para o alimento material. Não pensavam em outra coisa. Jesus olhava para o horizonte, em direção à cidade. Quando os discípulos insistiram em que ele comesse, Jesus disse que tinha outra comida. Eles interpretaram isso como se o Senhor estivesse falando de comida material e pensaram em quem lhe teria trazido comida. Jesus revelou que sua comida, aquilo que ele desejava e lhe satisfazia, era “… fazer a vontade daquele que me enviou e concluir a sua obra”.

Então, o Senhor chamou os discípulos para pensarem como ele. Referindo-se ao que parece ter sido uma conversa anterior sobre a época da colheita do trigo à volta, Jesus disse aos discípulos para tirarem os olhos da comida material e olhar para os campos de trigo. Ele anunciou que a colheita era eminente. Pensando que Jesus estava falando em outra esfera de pensamento, assim como falou sobre a comida, podemos entender que ele apontava para a multidão que vinha conhece-lo por causa do testemunho da mulher. Uma multidão enchia os campos diante dos olhos dos discípulos. Pessoas que eles tinham visto na cidade sem lhes terem testemunhado. Elas eram a colheita que Jesus esperava, e ele passou a exortar seus discípulos a se concentrarem na colheita de vidas desde então.

  • Qual foi a resposta de Jesus quando os discípulos insistiram que ele comesse? “Enquanto isso, os discípulos insistiam com ele: ‘Mestre, come alguma coisa’. Mas ele lhes disse: ‘Tenho algo para comer que vocês não conhecem’”.
  • A que os discípulos pensaram que Jesus se referia? “Então os seus discípulos disseram uns aos outros: ‘Será que alguém lhe trouxe comida?’”
  • A que outra esfera de pensamento Jesus disse se referir quando falou de comida? “Disse Jesus: ‘A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e concluir a sua obra’”.
  • Como Jesus chamou os discípulos de sua própria esfera de pensamento para pensarem como ele mesmo pensava? “’Vocês não dizem: ‘Daqui a quatro meses haverá a colheita’? Eu lhes digo: Abram os olhos e vejam os campos! Eles estão maduros para a colheita’”.

[O] Ouça o que o texto promete
Esse texto mostra que Jesus vivia em uma esfera de pensamento enquanto os discípulos viviam em outra. Jesus se concentrava em coisas espirituais e no Reino de Deus, enquanto os discípulos olhavam para as coisas materiais, para suas necessidades e satisfações pessoais. Fica claro que não é possível fazer a vontade de Deus e completar a obra que ele propõe quando estamos ocupados com nossos próprios interesses. No contexto, um detalhe poético reforça essa ideia. A mulher samaritana deixou seu vasilhame junto à fonte quando foi testemunhar de Cristo, ou seja, desprezou as necessidades materiais por causa das espirituais.

O que esse texto promete, no entanto, é que não será necessário muito esforço para fazer a vontade de Deus e completar a sua obra, se essa for a nossa fome e a nossa comida. Não será com muito pensamento, nem com grande planejamento que cumpriremos nossa vocação bíblica, nossa missão divina. Seremos movidos por uma fome espiritual que somente se satisfaz em fazer o que Deus quer e realizar o que ele mandou. A espontaneidade com que aquela mulher testemunhou e os resultados que ela obteve mostram isso.

Uma mulher, de uma religião estranha e de moral duvidosa, fez a vontade de Deus e completou a sua obra, mas vários homens, judeus genuínos e puros conforme a Lei, somente se preocupavam em satisfazer sua própria fome. A diferença é que aquela mulher era como Jesus, ela encontrou uma água que os discípulos não conheciam, uma água que podia satisfazê-la para sempre.

[S] Sinta o que o texto ordena
Esse texto nos lembra que precisamos de pouco esforço para fazer a vontade de Deus e fazer toda a obra da evangelização. Basta querermos fazer isso como quem tem sede e fome e teremos motivação insuperável. Ore para que fazer a obra de Deus não seja pesado para você ou para os seus irmãos.

Aquela mulher tinha sede espiritual de conhecer a Cristo e de fazê-lo conhecido. Jesus tinha fome espiritual de fazer a vontade do Pai e realizar tudo o que o Pai queria. Por isso testemunharam e fizeram a colheita. Mas os discípulos somente pensavam em satisfazer seus desejos materiais. Ore por uma profunda sede e fome espiritual para você e para sua igreja. Que vocês queiram fazer o que Deus quer mais do que qualquer outra coisa.

A mulher deixou seu cântaro junto à fonte quando foi testemunhar, Jesus deixou a comida que os discípulos lhe ofereciam. Não é possível fazer o que Deus quer e completar a obra dele enquanto estamos embaraçados com os interesses dessa vida, mesmo os mais básicos. Ore para que você e os irmãos em sua igreja tenham coragem de abrir mão mesmo das coisas mais básicas da vida, para se dedicar a cumprir a missão bíblica que Deus nos deu.

O Reino de Deus se estendeu sobre toda uma cidade por causa do testemunho. Aquela mulher que havia passado tão pouco tempo com Jesus causou um grande impacto porque falou daquilo que Jesus tinha feito na vida dela. Ore para que você e cada crente em sua igreja seja verdadeiras testemunhas de Cristo.

…………
Este estudo bíblico é parte integrante da série de trinta devocionais preparados para a Escola de Liderança da AMME para Adolescentes e Jovens – Pacificadores, na edição #PACI18, de 7 a 21 de janeiro de 2018 em Ibiúna – SP. Veja a lista de textos em

Leave a Reply